Se Liga Especial Quaresma 3

A importância das Práticas Devocionais

Muito se fala sobre o período da Quaresma e seus propósitos, mas o que realmente esse Tempo Litúrgico representa e por qual motivo devemos nos entregar em Práticas Devocionais?

Dentro de um rodeado de informações, a maneira popular como a Quaresma é vista acaba se resumindo ao ato de abdicar de algo que gosta por quarenta dias. Mas esse tempo Litúrgico é mais do que isso, pois trata-se de um privilégio Cristão em que olhar para si com o objetivo de avaliar e mudar é um ponto de partida para melhorar, persistir e alcançar a salvação.

Reflexão, jejum, penitência, caridade, oração e conversão. Essas são as bases quaresmais que devemos nos dedicar nesse período. Silenciar o coração, pois o silêncio ajuda a ouvir melhor e enxergar com mais clareza; fazer uma avaliação interna, pois devemos oferecer o melhor para o próximo e, também, como imagem e semelhança de Deus, sermos o melhor que pudermos ser. Praticar o jejum como forma de purificação, a caridade de maneira ativa e concreta e dedicar-se à oração com fervor. Além de esvaziar-se dos excessos com intuito de se desfazer do que não cabe, para assim abrir espaço para a conversão.

Diante dessas bases, as Práticas Devocionais ajudam e permitem que esse período seja vivido na sua totalidade, entregando ao Cristão a possibilidade de nutrir sua fé de forma inteiriça. O exercício da Via Sacra, a meditação sobre as sete dores de Maria, dentre tantos outros atos Piedosos e Devocionais são exemplos de conectivos importantes entre o Cristão e a realidade do que acreditamos dentro da nossa fé. Analisar, vivenciar e observar os detalhes da Paixão de Cristo nas quatorze estações em que a dor e o sacrifício de Jesus são divididos, ocasiona a chance de absorver e reviver com vigor a importância que por vezes deixamos de ver ao longo dos meses, bem como, uma oportunidade de realinharmos nossa fé e conectarmos nossas crenças com nossas atitudes. Assim também permite a meditação sobre as sete dores de Maria, que a reflexão nos carrega para as dores e amarguras de Maria Santíssima, durante sete episódios da vida da Mãe, trazendo para a nossa realidade o significado de amor, como também de entrega e confiança.

Não se fala “meses da Quaresma” e sim dos dias, pois os quarenta dias são referentes ao símbolo que o número quarenta tem na bíblia, atestando também que o objetivo desse período é se entregar um dia por vez. Logo, as devoções não só são importantes, como essenciais. Para que não seja só um período de vivências especiais, mas, principalmente de transformação.